Deputados da base governista defendem votações; oposição anuncia obstrução

Deputados da base do governo defendem a continuidade das votações na Câmara, após o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar a abertura de inquérito contra o presidente Michel Temer para apurar denúncias dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos do grupo J&F, que controla o frigorífico JBS.

O líder do DEM, deputado Efraim Filho (PB), defendeu nesta segunda-feira (22) a continuidade das votações das matérias econômicas pelo Congresso, além de afirmar que o partido continua na base de sustentação do governo, embora reconheça a gravidade da crise política.

Segundo Efraim Filho, a agenda das investigações cabe ao STF, e a agenda econômica, ao Congresso, para a retomada do desenvolvimento econômico. “É hora de transparência, reconhecer que o momento é delicado, que as denúncias são fortes, e a resposta a isso tem que ser rápida. E acho que ninguém mais interessado que o governo em fazê-la.”

Vice-líder do DEM na Câmara, o deputado Pauderney Avelino (AM) disse que os temas econômicos em tramitação no Congresso são importantes para o País. Ele defendeu a votação do Projeto de Lei Complementar que convalida incentivos fiscais (PLP 54/15), marcada para esta semana, e das reformas trabalhista, no Senado, e previdenciária, na Câmara. Segundo Avelino, Temer terá oportunidade de se defender.

Já o deputado Danilo Forte (PSB-CE) reconheceu que será difícil para o Congresso analisar temas polêmicos, como a reforma da Previdência, e sugeriu uma agenda mínima de votações. “Neste momento Michel Temer continua presidente da República, e não podemos dizer que não existe”, disse. “O País é maior que as querelas políticas.”

reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias

Leia Mais



“Criação de conselho LGBT vai inchar quadros públicos”, afirma vereadora Aimée Carvalho

A irmã Aimée Carvalho votou contra o Projeto de Lei do Executivo 60/2013, que pede a criação do Conselho Municipal de Políticas Públicas LGBT. Para a vereadora, a criação do conselho é uma questão política. “Entendo que, politicamente, a criação deste conselho é viável para muitos dos que estão aqui. No entanto, precisamos enxergar além da política partidária e exclusivista e pensarmos no povo do Recife como um todo, que não merece ter mais esse inchaço na estrutura municipal”, afirmou.

“O meu posicionamento não tem absolutamente nada a ver com a minha confissão de fé. Falo como vereadora e cidadã desta cidade, enquanto pessoa pública”, destacou ao iniciar seu discurso. “Na Câmara do Recife, represento os interesses da nossa sociedade como um todo. Não legislo em causa própria”, disse. “Seja hétero ou homossexual, a Constituição já garante o direito a inviolabilidade da vida privada. A criação de um conselho para garantir isto é absolutamente redundante e dispensável, soando, até mesmo, inconstitucional”, destacou a parlamentar em seu pronunciamento.

“Faço parte da base aliada da atual gestão e tenho trabalhado em parceria com a mesma em uma série de aspectos. Apesar disto, não posso concordar com a criação deste conselho”, pontuou. A irmã Aimée também destacou que, em dezembro do ano passado, a Câmara de Vereadores concordou com o pedido de autorização para mudar a estrutura administrativa da prefeitura, reduzindo de 24 para 15 as secretarias municipais, um corte de gastos. A criação de mais um conselho onera o erário público com o pagamento de diárias para viagens, por exemplo.

“Temos na estrutura do município as Secretaria de Desenvolvimento Social, Juventude, Políticas sobre Drogas e Direitos Humanos e a Secretaria de Governo e Participação Social, que já abraçam a causa defendida pela população LGBT”, destacou “Se já temos secretarias trabalhando o tema, entendo que a criação de um conselho somente incharia os quadros”, conclui a vereadora.

Leia Mais



“HÁ ALGO DE PODRE NESTA REPUBLICA MUITO ALÉM DO TEMER”. Dr. Paulo de Tarso

A quem interessa uma delação onde o corruptor confesso é premiado? A delação não é sistema de absolvição e sim de atenuação da pena. E os amigos do J. Batista, que permitiram que este sangrasse os cofres públicos com empréstimo no BNDES com juros subsidiados para darem emprego no USA, como ficam?
Sinceramente não posso apoiar medidas apressadas contra a economia já cambaleante e permitir que o corruptor e todos, mas todos mesmos, demais corruptos estejam impunes.
Os crimes contra o sistema financeiro cometidos pelos Batistas recentemente no dia antecedente ao vazamento da delação, e ainda com descaramento, e protegidos de impunidades por estarem autorizadamente, por Ministro do STF e pelo PGR nos USA, é revoltante.
Permitido e justificado o impeachment pela OAB Nacional, faltou a correição de se exigir porque autorizar os Batistas a saírem do país. Ameaça de morte? Conta outra, que esta não convence. Cadê o indício da ameaça de morte? Ou já se sabe que houve assassinatos de pessoas por questões de delação e não se pune os mandantes do assassinato? Será que estamos falando de Celso Daniel? Ou é uma desculpa de balelas? Afinal há diversos Juízes sob fortes ameaças e sob proteção policial, e nem poristo foram viver fora do país.
A quem interessa a impunidade dos crimes praticados pelos Batistas?
Tudo na verdade tem que ser melhor apurado. A pressa é inimiga da verdade. O fato de alguém não negar algo, não transforma o algo em verdadeiro. A pressão psicológica, o stress emocional, faz a reação adversa em cada ser humano.
No mínimo a única coisa certa não será punida: – a confissão criminosa de corrupção ativa dos Batistas. Pelo contrário, foram premiados a poderem roubar a nação às vésperas da notícia divulgada e assistindo tudo com autorização nos USA.

Leia Mais



Botão do Pânico: Vereadora defende projeto em audiência pública que reuniu autoridades da segurança na cidade

Na manhã desta quarta-feira (17), a vereadora Aimée Carvalho promoveu no Plenarinho da Câmara uma audiência pública que discutiu a instalação do Botão do Pânico nos ônibus do Recife. O Projeto de Lei Ordinária 59/2017, de autoria da vereadora, está nas Comissões da Casa José Mariano aguardando os pareceres para ir à votação.

Estiveram presentes o secretário de segurança urbana do Recife, Murilo Cavalcanti; o gerente de infra-estrutura de Tecnologia da Informação do Grande Recife Consórcio, Alexandre Severo; o representante da URBANA-PE, Bernardo Braga; o delegado Joel Venâncio, da Polícia Civil; o major Alexandre Tavares, da Polícia Militar; e o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Benilson Custódio. O Plenarinho também estava repleto de cidadãos que compareceram ao encontro para deixar suas opiniões.

A irmã Aimée anotou todas as sugestões dos participantes para deliberações. Foi sugerido, por exemplo, uma alteração no nome do dispositivo, que, ao invés de ser chamado de Botão do Pânico, pode passar a se chamar “Botão de Socorro” ou “Botão de Emergência”. Outra sugestão anotada pede que a palavra “Perigo” não seja posta no letreiro do ônibus, como pedia o projeto originalmente, para evitar mais riscos para os cobradores e motoristas.

Por solicitação do secretário Murilo Cavalcanti, uma nova audiência será realizada nos próximos dias para que as polícias apresentem uma radiografia dos crimes nos ônibus da cidade do Recife. “Precisamos saber onde estes crimes ocorrem, em que bairro e em quais horários, para que a gente trabalhe medidas preventivas e repressivas”, afirmou.

“Eu estou realmente disposta a dificultar o trabalho dos assaltantes. Não podemos mais viver assustados na cidade”, afirmou a vereadora, que se comprometeu a estudar todas as sugestões para que o Projeto siga para votação o quanto antes. Ela também pediu mais otimismo das pessoas. “Vai dar certo, precisamos ser otimistas. Vamos trabalhar em conjunto. Segurança não é só um dever da Polícia, mas de todos nós”, destacou. A irmã Aimée deve anunciar nos próximos dias a data do novo encontro, que desta vez abordará questões técnicas quanto a implantação do projeto.

Leia Mais



Prefeitura vai retomar obras de Escola Municipal, no Alto da Bela Vista, garante vereador

Após ter o pleito atendido pelo prefeito Geraldo Júlio, o vereador Renato Antunes (PSC), vice-líder da Comissão de Educação da Câmara, confirmou que até julho, serão retomadas as obras da nova sede da Escola Municipal Professor José Lourenço de Lima, no Alto Bela Vista, Ibura. Até o momento, 46% da obra foi executada. Além das salas de aula, a nova sede contará com biblioteca, pátio coberto para recreio, cozinha, copa, parque infantil, salas administrativas, além de espaço tecnológico. A obra está orçada em R$1,7 mi.

A unidade de ensino atualmente atende, na sede antiga, 370 alunos do grupo 4 da Educação Infantil ao 5º ano do Ensino Fundamental, além das turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Com a nova sede que está sendo construída dentro do novo padrão de qualidade estrutural e pedagógico adotado pela Prefeitura em seus equipamentos, como parte do Programa Escola do Futuro, a José Lourenço de Lima ampliará sua capacidade de atendimento e poderá matricular mais de 600 estudantes.

Na visão do parlamentar, a retomada das obras é uma vitória do Recife, e de várias famílias que serão beneficiadas. ” Um investimento como este traz uma melhoria não apenas para agora, mas para as futuras gerações. Também demonstra o compromisso em aumentarmos as ofertas para as vagas, na rede de ensino municipal. Como parlamentar, precisamos continuar avançando e trabalhando para garantir melhorias para o povo da nossa cidade”, assegurou o vereador

Leia Mais