NOTA DE REPÚDIO

O Movimento Popular Jaboatão Que Nós Queremos, através do seu coordenador, Fernando Moreira, mais conhecido como Fernando Gordinho, vem à público repudiar a atitude da Prefeitura de Jaboatão, que está sendo acusada de superfaturar o contrato de aluguel do Complexo Administrativo, prédio onde funcionam várias secretarias municipais. Enquanto cidadãos e defensores de Jaboatão, apoiamos a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito, determinada pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco, com base em relatórios do Tribunal de Contas constatando que a Prefeitura alugou o imóvel sem licitação, pagando mais de R$ 400 mil em um prédio que vale, no máximo, R$ 200 mil.

Nós do MPJQ consideramos a situação extremamente grave e por vários motivos. Um deles é que, apesar da denúncia ter sido feita dentro da própria câmara, pela bancada da oposição, a CPI só será instalada por determinação da justiça, o que é absurdo. Outro e ainda mais grave é que, se ao final da CPI e constatado o superfaturamento, a conclusão será que a prefeitura lesou o erário público, para benefícios escusos e vantagens pessoais em detrimento do bem de Jaboatão, já que o dinheiro superfaturado poderia, estar sendo investido em ações importantes para a cidade, como na contratação de médicos e na compra de medicamentos para as mais de 30 unidades de saúde, que atualmente fechadas na cidade.

Ou seja, ao alegar que o aluguel do prédio iria gerar economia para Jaboatão e fechando o contrato de um imóvel pelo valor de dois, a prefeitura enganou, ludibriou os jaboatonenses, que confiaram o município mais importante de Pernambuco depois da capital, a um governo de mentira, engodo e enganação. Por isso, pelo bem e o futuro de Jaboatão e por amarmos a nossa cidade, precisamos acompanhar atentamente o andamento da CPI, porque forte é o povo quando unido e organizado.

Movimento Popular Jaboatão Que Nós queremos

Dica: A Máquina De Vendas Online 2018