200 cargos comissionados seriam o bastante para administrar uma cidade como Jaboatão, os outros seriam funcionários de carreira e concursados.

Uma cidade com mais de 4 mil funcionários públicos não pode de forma alguma ter os cargos de direção e executivos sendo preenchidos por profissionais do mercado, até porque, este tipo de decisão traz prejuízos os cofres públicos, e não estimula os profissionais de carreira. Para quem chega com um discurso de modernidade, Anderson Ferreira precisa ser arrojado e implantar na cidade uma gestão onde os funcionários de carreira possam ser valorizados de forma que o mesmo possa ser cabeça e não pescoço. O incrível que em muitos dos casos pessoas sem experiências vão comandar atividades sem o menor conhecimento, e o pior, vão comandar quem de fato conhece os serviços. Isso é mudança.

Deixe um comentário:

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Current ye@r *